Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Barril da Opep cai para seu menor preço desde junho de 2005

Viena, 14 nov (EFE).- O barril da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) caiu 6,4% na última quinta e foi negociado a US$ 47,73, seu valor mais baixo desde que a nova cesta de referência começou a ser usada em junho de 2005.

EFE |

Segundo informou hoje em Viena o Secretariado do cartel, a cesta de referência caiu ontem US$ 3,2 em relação a sua cotação da sessão anterior.

A marca de US$ 47,73 é o mínimo histórico do barril da Opep desde que no dia 16 de junho de 2005 o cartel colocou em circulação o novo barril formado por 11 tipos de petróleo, que substituía o que estava em vigor desde 1987.

O novo desastre para o preço do petróleo Opep chegou após a Agência Internacional da Energia (AIE) reduzir ontem em 670.000 barris diários as expectativas de crescimento do consumo em 2009, que fica em 86,5 milhões de barris diários, ou seja, um aumento de 0,4% com relação a 2008.

O temor da diminuição do consumo foi assim confirmado, quando a AIE afirmar que o novo cálculo da demanda se baseia nas atuais previsões do Fundo Monetário Internacional, que diminuíram 0,8 ponto percentual o aumento da economia mundial para 2009 (2,1%) e, sobretudo, porque prevê que as economias desenvolvidas estarão claramente em recessão.

De fato, para a AIE a demanda de petróleo dos países mais industrializados diminuirá 2,7% este ano, para 47,8 milhões de barris diários, e voltará a cair 1,6% em 2009 até 47,1 milhões. Isto significa respectivamente 270.000 e 410.000 barris diários a menos que o avançado há apenas um mês.

Para a China, que nos últimos anos foi um dos principais motores do consumo de petróleo, a agência reconheceu que há "uma incerteza potencial" sobre em que medida a desaceleração mundial lhe afetará.

EFE as/fal

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG