Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Banqueiros pedem que presidente do HBOS rejeite fusão com Lloyds TSB

Londres, 8 nov (EFE) - Dois influentes banqueiros escoceses mandaram hoje uma carta ao presidente do banco Halifax Bank of Scotland (HBOS), Dennis Stevenson, na qual pediram que rejeite a planejada fusão da entidade com o Lloyds TSB. Peter Burt, ex-diretor do Bank of Scotland, e George Mathewson, ex-executivo-chefe do Royal Bank of Scotland, afirmaram que não é necessária a fusão, que conta com o respaldo do Governo britânico. Burt e Mathewson, que consideram que os acionistas do HBOS, o sexto maior banco britânico, ficarão melhor se a entidade conservar sua independência, afirmaram na carta sua intenção de oferecer um plano alternativo detalhado para o Halifax Bank Of Scotland. Em setembro, a crise financeira mundial forçou o HBOS, cuja sede fica em Edimburgo, a negociar sua venda ao Lloyds TSB, quinto maior banco britânico e com sede em Londres, que ofereceu 12,2 bilhões de libras (15,465 bilhões de euros) por esse grupo. A operação, iniciada após a perda de valor das ações do HBOS, foi um resgate incentivado pelo Executivo britânico, o que permitiu às partes evitar o regulador de concorrência. No entanto, Mathewson destacou que a operação foi concebida em resposta a um problema particular e então o mundo mudou uma semana mais tarde. Esse acordo como tal já não é um pacto adequado para os acionistas do HBOS. Não acreditamos que as alternativas à fusão entre Lloyds TSB e HBOS tenham sido apropriadamente exploradas, afirmou Mathewson.

EFE |

Além disso, os dois banqueiros pediram na carta para que Dennis Stevenson e o diretor do HBOS, Andy Hornby, apresentem sua renúncia para que eles assumam as rédeas do grupo bancário.

De qualquer forma, conforme lembram Burt e Mathewson, Stevenson e Hornby deixariam os cargos quando a fusão fosse concluída.

"Portanto, sugerimos que renunciem para que nós assumamos por um período interino e façamos o que pudermos para encontrar outra solução", propõem os signatários do documento.

O HBOS confirmou ter recebido a carta, mas especificou que "não contém uma proposta alternativa substancial", e indicou que a projetada fusão "fornece verdadeiros benefícios a nossos acionistas".

No Ministério da Economia, um porta-voz disse que, "a menos que as partes formalmente mudem de opinião, a fusão com o Lloyds TSB seguirá em frente".

Uma cópia da carta também foi enviada ao ministro principal da Escócia, o nacionalista Alex Salmond, que ressaltou que a estudará "com cuidado".

O Partido Nacionalista Escocês (SNP) criticou a fusão porque poderia causar a perda de 17 mil empregos na Escócia e diminuir influência de Edimburgo como centro financeiro.

O HBOS é um banco originado da fusão que o Bank of Scotland e Halifax (primeiro entidade hipotecária britânica) acordaram em 2001, quando Burt era executivo-chefe do primeiro banco. EFE pa/db

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG