Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bancos querem elevar juros do crédito consignado

Os bancos querem aumentar os juros cobrados no crédito consignado (com desconto em folha) a aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), sob a justificativa de que as altas da Selic, a taxa básica de juros, estão elevando seus custos de captação.

Agência Estado |

O superintendente de Projetos Especiais da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Jorge Higashino, revelou nesta quarta-feira que a proposta de reajustar o teto dos juros desse tipo de crédito, atualmente de 2,5% ao mês na modalidade tradicional e 3,5% mensais no formato do cartão de crédito consignado, já foi levada ao ministro da Previdência, José Pimentel.

Higashino disse que os bancos esperam "a melhor oportunidade" para debater o assunto com os demais integrantes do Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS), o órgão encarregado de definir o teto dos juros do crédito consignado.

"Vamos ver qual o posicionamento do Banco Central e do Comitê de Política Monetária, o Copom, principalmente, para ver se continua a tendência de alta (da Selic) ou se estabiliza. É uma questão de aguardar um pouco mais para que a gente possa discutir no plenário do CNPS", declarou.

O superintendente de Projetos Especiais da Febraban argumentou que o critério utilizado pelo CNPS tem sido o de ajustar o limite de juros do crédito consignado pela variação da taxa Selic.

"Assim funcionou desde 2006 para cá, com a diminuição da taxa", lembrou, destacando que desde abril último o BC já promoveu três altas na Selic - que passou de 11,25% ao ano para 13% ao ano no período. "E isso representa aumento de custo de captação de dinheiro para os bancos", completou. Higashino deu as declarações ao ser questionado sobre o assunto após participar de reunião do CNPS, nesta quarta-feira, em Brasília.

Leia tudo sobre: bancos

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG