Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bancos preveem crescimento do PIB de 6% este ano

Rio de Janeiro, 26 abr (EFE).- Os economistas dos bancos brasileiros preveem que a economia do país cresça 6% este ano e 4,5% em 2011, segundo uma pesquisa divulgada hoje pelo Banco Central (Bacen).

EFE |

Rio de Janeiro, 26 abr (EFE).- Os economistas dos bancos brasileiros preveem que a economia do país cresça 6% este ano e 4,5% em 2011, segundo uma pesquisa divulgada hoje pelo Banco Central (Bacen). A projeção dos economistas para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) do país este ano foi elevada de 5,81% para 6%, de acordo com a última edição da pesquisa realizada semanalmente pelo Bacen entre os analistas das instituições financeiras. Trata-se da primeira vez que o mercado nacional projeta um crescimento econômico de 6% para este ano, um ponto acima dos 5% estimados pelo Governo. Por outro lado, a previsão para o crescimento da economia em 2011 foi mantida em 4,5%. A revisão para cima da previsão foi atribuída tanto às projeções de alguns bancos internacionais - que agora esperam uma maior expansão da economia brasileira - quanto às melhores projeções da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Segundo os analistas da pesquisa, o Brasil obterá seu maior crescimento nos últimos anos impulsionado principalmente pela indústria, cuja produção aumentará 9,5% este ano, contra 9,41% que era calculado na semana passada. A projeção para o crescimento da produção industrial no próximo ano foi mantida em 5%. Quanto à inflação para este ano, o mercado elevou pela 14ª semana consecutiva sua previsão: de 5,32% prevista em meados de abril para 5,41% estimada na semana passada. A projeção para a inflação do ano que vem foi mantida em 4,5%. A meta do Governo tanto para este como para o próximo ano é que a inflação se mantenha em 4,5% com uma margem de tolerância de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Os economistas também preveem que o Brasil encerre este ano com uma taxa de câmbio de R$ 1,80 em relação ao dólar e no ano que vem com R$ 1,85 por dólar. A previsão para a balança comercial de 2010 foi elevada de um superávit de US$ 10 bilhões para US$ 12 bilhões. Os economistas mantiveram sua previsão de que o déficit no balanço de pagamentos do país este ano fique em US$ 50 bilhões. A projeção para o investimento estrangeiro direto este ano foi reduzida de US$ 39 bilhões para US$ 38 bilhões. EFE cm/sa
Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG