Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bancos prevêem crescimento de 2,4% para o Brasil em 2009

RIO - economistas dos bancos brasileiros prevêem que a economia do País crescerá este ano 2,4% e que a inflação será de 5%, revelou uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira pelo Banco Central.

EFE |

Segundo a primeira pesquisa de previsões feita este ano pela entidade entre economistas de bancos e instituições financeiras, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil se expandirá 2,4% em 2009, após ter encerrado 2008 com um crescimento próximo a 5,62% (segundo o último prognóstico).

Em qualquer dos dois casos, o crescimento da economia será menor que o 5,7% alcançado pelo país em 2007, quando o Brasil repetiu o bom desempenho de 2004 (5,7%).

Até meados do ano passado o Governo calculava que o crescimento econômico em 2009 se aproximaria de 5%, mas as previsões foram revisadas como conseqüência da crise financeira internacional para ficar entre 3% e 4%.

Apesar de o Brasil poder fechar este ano com crescimento econômico, a crise reduziu as expectativas, afetou as exportadoras de matérias-primas e já obrigou várias empresas a reduzirem sua produção e concederem férias coletivas.

Quanto à inflação, a previsão dos economistas é que em 2009 fique em 5% após ter alcançado cerca de 6,01% em 2008 (segundo a última previsão).

Nos dois casos a inflação será maior que a de 2007 (4,46%).

Segundo as previsões dos economistas, a cotação do dólar deve terminar 2009 em R$ 2,25 (hoje abriu em R$ 2,32 e em agosto passado chegou a cair para R$ 1,60) e a taxa básica de juros cairá até 12% ao ano, em comparação ao 13,75% atual.

Os economistas também prevêem que os investimentos estrangeiros no Brasil somarão este ano US$ 21,5 bilhões (em comparação aos cerca de US$ 37 bilhões previstos para 2008) e que o país fechará o ano com um superávit em sua balança comercial de aproximadamente US$ 14,5 bilhões.

O superávit comercial de 2008 foi de US$ 24,735 bilhões, valor 38,9% menor que os US$ 40,039 bilhões registrados em 2007. EFE cm/fal

Leia tudo sobre: focus

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG