Tamanho do texto

Os bancos alemães envolvidos nas discussões com o governo sobre um novo pacote de ajuda à agência hipotecária Hypo Real Estate Holding AG estão exigindo a renúncia do executivo-chefe da instituição e do chairman do seu conselho supervisor. O pedido seria uma condição para a nova assistência financeira, segundo uma fonte familiarizada com as negociações revelou à Dow Jones.

O CEO da companhia é Georg Funke. O chairman do conselho supervisor é Kurt Viermetz. "O consórcio de bancos exige que Funke e Viermetz deixem a empresa como uma precondição para a ajuda", informou a fonte, acrescentando que as partes negociadoras "estavam perto de entrar em acordo", mas suas posições haviam se distanciado novamente desde então.

No momento, os pontos essenciais da discussão são o nível dos empréstimos bancários e a garantia que será requerida do estado. Aparentemente, a necessidade de liquidez adicional do Hypo Real em discussão seria de aproximadamente € 15 bilhões, disse uma fonte. No pacote de ajuda anterior, de € 35 bilhões, que fracassou ontem, o governo havia concordado em garantir pouco mais de € 26 bilhões. Os € 8,5 bilhões remanescentes seriam garantidos pelos bancos, de acordo com os termos do pacote de resgate original.

Pela manhã, o governo da Alemanha ofereceu garantia ilimitada a todas as contas privadas de poupança, anunciou um funcionário do Ministério das Finanças. Mais cedo, a chanceler Angela Merkel havia comentado durante conversa com jornalistas: "Nós afirmamos a todos os poupadores que seus depósitos estão seguros. O governo federal garante isso". A líder conservadora alemã fez a declaração quando falava sobre o trabalho do governo para elaborar um plano de resgate à agência hipotecária Hypo Real Estate. O ministro alemão das Finanças, Peter Steinbrueck, assegurou que os contribuintes do país "não precisam se preocupar porque nenhum euro de seus depósitos" será consumido pela crise. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.