BRASÍLIA - O Banco Central (BC) informou nesta segunda-feira que os bancos apresentaram uma mudanças em suas posições - saíram de US$ 2,070 bilhões comprados no mês passado para US$ 3,356 bilhões na posição vendida em março, até o dia 18. Até a quinta-feira passada, o fluxo cambial estava negativo em US$ 2,666 bilhões.

Os números foram fornecidos pelo chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Altamir Lopes, que não quis comentar qualquer relação entre o aumento do resultado negativo do fluxo cambial e a inversão de posição dos bancos.

Lopes informou que, em março, até o dia 18, o Banco Central comprou US$ 2,315 bilhões no mercado, sendo US$ 2,273 bilhões no mercado à vista e US$ 42 milhões em retorno dos empréstimos dados durante o período mais agudo da crise.

Lopes também não deu detalhes sobre qual motivo levou a autoridade monetária a continuar adquirindo volumes expressivos de moeda estrangeira no mercado à vista mesmo com o fluxo cambial negativo.

No mês de fevereiro, as compras no BC no mercado à vista ficaram ao redor de US$ 400 milhões, sendo que, agora, em março, a cifra já está nos US$ 2,273 bilhões.

Lopes apenas lembrou que as compras da autoridade monetária obedecem à política de aumento de reservas adotada desde 2004 tendo como um dos seus focos "não ampliar a volatilidade do mercado".

Quanto à composição do fluxo, em março, até o dia 18, as exportações somaram US$ 8,321 bilhões, ante importações de US$ 7,801 bilhões, o que levou a um saldo comercial positivo de US$ 520 milhões. Já na conta financeira, os ingressos foram de US$ 13,376 bilhões ante saídas de US$ 16,562 bilhões, com resultado negativo de US$ 3,186 bilhões.

Isto resulta em saldo geral negativo em US$ 2,666 bilhões.

(Azelma Rodrigues | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.