Pelo segundo quadrimestre consecutivo, os setores bancário e siderúrgico ampliaram a relevância dentro do índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Ibovespa), apontam os dados da primeira prévia da próxima carteira teórica do indicador, que irá vigorar entre janeiro e abril de 2009, divulgada hoje. Não houve modificações nos ativos que compõem o principal índice da Bolsa paulista, que continua com 66 ações.

O peso do setor financeiro, porém, passa dos atuais 15,132% para 15,518%, segundo cálculos da Agência Estado. A indústria siderúrgica, por sua vez, passa a responder por 11,084% da carteira, ante 10,601% na atual.

A área de telecomunicações, por sua vez, perde espaço no índice, caindo de um peso de 6,284% para 5,760%. O setor de energia, que engloba 13 ações de 12 empresas, incluindo na relação as ordinárias (ON) da Cosan, também tem sua fatia no Ibovespa reduzida de 8,699% para 8,432%.

O segmento de transportes - com ações da ALL, CCR, Gol, TAM e Embraer - passa de 4,660% para 4,222% na prévia do Ibovespa de janeiro a abril do ano que vem.

As ações ON e preferenciais (PN) da Petrobras irão, mais uma vez, ampliar sua participação no Ibovespa. Petrobras PN aparece com participação de 16,42% na prévia do Ibovespa (ante 15,387% na carteira vigente) e Petrobras ON tem 3,028% (versus 2,821%). Vale PN classe A (PNA), enquanto isso, aparece com 12,006% de participação na primeira prévia do Ibovespa (contra 12,639% hoje) e Vale ON com 3,233% (ante 3,271%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.