Sanções determinadas pela ONU dificultam transações financeiras e compra de bens

selo

A maioria dos bancos dos Emirados Árabes Unidos, importante parceiro comercial do Irã, interrompeu transferências de recursos depois da última rodada de sanções à república islâmica, disseram banqueiros hoje. "Nós paramos as transferências para o Irã em todas as moedas em julho", disse um executivo de um banco internacional, que falou sob anonimato para a AFP.

O Conselho de Segurança da ONU determinou uma quarta rodada de sanções em 9 de junho ao controverso programa de enriquecimento de urânio, que o Ocidente acredita que seja uma tentativa de fazer uma bomba nuclear, acusações que o Irã rebate. Os EUA e a União Europeia impuseram unilateralmente medidas punitivas ainda mais duras, que contêm cláusulas para punir os parceiros comerciais do Irã.

Um banqueiro de uma instituição dos Emirados disse que as transferências em dólares e em euros agora estão proibidas e "em dirham (moeda dos Emirados) se tornaram muito difíceis, se não impossíveis". "As transações de clientes iranianos são monitoradas de perto, continua o banqueiro, acrescentando que certas transações, como transferências para compra de bens na Ásia, por exemplo, são bloqueadas algumas vezes. "Estamos acostumados a lidar com alguns bancos em Teerã, mas agora é quase impossível", disse.

O banco central dos Emirados Árabes Unidos determinou o congelamento de 41 contas bancárias por causa das sanções ao Irã, segundo o website de negócios Emirates Business 24/7. O Irã é um importante parceiro comercial dos Emirados, com volume negociado estimado em US$ 10 bilhões por ano. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.