Tamanho do texto

Frankfurt (Alemanha), 8 ago (EFE) - Os bancos da zona do euro prevêem endurecer mais no terceiro trimestre do ano os padrões de crédito para empresas, tanto grandes quanto pequenas e médias, e manter os de empréstimos hipotecários, em relação ao segundo trimestre, informou hoje o Banco Central Europeu (BCE).

Segundo uma pesquisa publicada pelo BCE, o endurecimento das condições para conceder créditos a empresas ocorre pela deterioração das expectativas econômicas e é mais pronunciado nos empréstimos a longo prazo que a curto.

O BCE fez a pesquisa entre junho e 8 de julho.

Por sua vez, os institutos de crédito da zona do euro observam que a demanda líquida de créditos a empresas é negativa pela queda das operações de fusões e aquisições, da reestruturação empresarial e das necessidades financeiras para investimentos fixos.

Além disso, muitas empresas utilizaram financiamento interno, o que indica que têm grandes lucros.

No segundo trimestre, menos bancos da zona do euro asseguraram ter endurecido as condições para conceder créditos hipotecários (30%, contra 33% do primeiro trimestre).

As entidades de crédito observam que cai a demanda líquida de empréstimos hipotecários pela deterioração da confiança do consumidor e a piora das perspectivas do mercado imobiliário.

No segundo trimestre, mais bancos da zona do euro endureceram os padrões para conceder créditos de consumo pela percepção de risco perante a piora das expectativas para a atividade econômica geral.

O estudo recolhe as mudanças nas condições de concessão de empréstimos de 112 institutos de crédito no segundo trimestre do ano e as expectativas de mudanças para o terceiro.

O BCE manteve na quinta-feira a taxa reitora em 4,25%, que é o juro mínimo de disputa nas operações de refinanciamento da entidade monetária aos bancos comerciais. EFE aia/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.