O lucro líquido do Banco Santander, maior banco espanhol em ativos, aumentou 4,4% no terceiro trimestre, impulsionado pela compra recente do Banco Real, no Brasil. O resultado de julho a setembro atingiu 2,21 bilhões de euros (US$ 2,76 bilhões), comparado a 2,11 bilhões de euros no mesmo período de 2007.

O lucro ficou praticamente em linha com a média das projeções de uma pesquisa da Dow Jones com oito analistas, que era de 2,27 bilhões de euros. O Banco Real, que o Santander assumiu a partir da compra do holandês ABN Amro, respondeu por 451 milhões de euros (US$ 563,389 mi) do lucro.

Até agora, o Santander tem se mantido relativamente ileso na crise de crédito global e, no terceiro trimestre, continuou a mostrar resistência, comparado a seus cambaleantes competidores internacionais. Os resultados operacionais foram sustentados por um aumento de 12% na receita líquida de juros, para 4,44 bilhões de euros (US$ 5,546 bilhões), em linha com as expectativas do mercado, que estimava 4,40 bilhões de euros.

Em suas unidades principais na Espanha, no Reino Unido e na América Latina, o Santander tem conseguido compensar a redução na demanda por empréstimos com um aumento da rentabilidade na concessão de crédito. Porém, a carteira de empréstimos do banco registrou uma deterioração no trimestre. Os empréstimos vencidos aumentaram para 1,63% do total em setembro, contra 1,3% em junho. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.