Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Banco Mundial inicia programa de ajuda a países pobres

O Banco Mundial anunciou hoje um programa de crédito de US$ 2 bilhões para distribuir ajuda mais rapidamente aos países pobres que sejam atingidos pela crise financeira global. A linha de crédito, aprovada ontem pelos diretores-executivos do banco, vai disponibilizar empréstimos com baixas taxas de juros, com aprovação mais rápida, por meio do fundo da Associação Internacional de Desenvolvimento do Banco Mundial (IDA, na sigla em inglês).

Agência Estado |

O IDA tem cerca de US$ 42 bilhões de recursos disponíveis para 78 países de baixa renda, para serem distribuídos ao longo dos próximos três anos.

"Os povos mais pobres serão atingidos mais duramente pela crise, que provavelmente ficará pior no próximo ano", disse o presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick. "Queremos ajudar os países a administrarem esta desaceleração com rápido financiamento para ajudar a minimizar seu impacto e assisti-los no desenvolvimento de políticas de apoio", acrescentou.

Ontem, o Banco Mundial rebaixou sua previsão de crescimento econômico global pela segunda vez em muitos meses. O banco espera agora uma desaceleração da economia mundial para um crescimento global de 0,9% no próximo ano, de uma estimativa de expansão de 2,5% este ano.

Segundo o Banco Mundial, a esperada redução no crescimento global no próximo ano - especialmente nos países ricos - significa que os países em desenvolvimento serão o motor do crescimento mundial. Mas o projetado declínio nas taxas de crescimento dos países em desenvolvimento será mais severo do que o registrado depois da crise financeira da Ásia, ocorrida no fim dos anos 90, na medida em que a queda no fluxo de capital tem seu impacto sobre as economias. Espera-se que os países em desenvolvimento desacelerem o crescimento de 7,9% no ano passado para 6,3% em 2008 e 4,5% no ano que vem.

Leste da Ásia

O Banco Mundial reduziu sua previsão para o crescimento das economias do Leste da Ásia e do Pacífico para 5,3% no ano que vem e 6,5% em 2010, após uma expansão projetada de 7% para este ano. Na avaliação semestral da instituição sobre as economias daquela região - que exclui Japão, Austrália e Nova Zelândia, mas inclui a China e a Índia - o Banco Mundial disse que "os desafios diante das economias do Leste da Ásia se multiplicaram ao longo de 2008, prenunciando tempos difíceis para 2009". A projeção anterior para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) daquela região em 2009, divulgada em abril, era de 7,4%.

O relatório também afirma que a China vai continuar, no médio prazo, a desempenhar um papel chave na formação do perfil daquela região e a ser uma espécie de "colchão" a proteger as economias regionais dos piores efeitos da crise financeira. Para o Banco Mundial, o PIB da China deverá crescer 7,5% em 2009, após uma expansão projetada de 9,4% este ano; em 2010, o PIB da China deverá subir 8,5%. O PIB da Índia, por sua vez, deverá crescer 8,5% em 2009 e 7,7% em 2010. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG