O presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick, reiterou hoje que o status do dólar como moeda de reserva não é um fato dado, mas sim uma questão de longo prazo. Eu acredito que, a curto prazo, o dólar permanece como a principal moeda de reserva, disse Zoellick a repórteres após se encontrar com congressistas no Capitólio, em Washington.

A recente queda da moeda dos EUA pode ser atribuída em parte a uma reversão da fuga para a qualidade nos ativos norte-americanos durante a crise, no ano passado, afirmou.

No entanto, "no longo prazo, os norte-americanos seriam sábios ao não considerar o status de moeda de reserva como garantido", disse Zoellick. A habilidade dos EUA em lidar com crescentes déficits no orçamento, bem como com a política monetária, determinará se o dólar poderá manter o status.

A China e a Rússia têm sido os principais países a pedir uma moeda de reserva alternativa e Zoellick ajudou a alimentar o debate no mês passado, quando previu que o dólar enfrentará cada vez mais competição nesse papel. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.