O maior banco da Itália, o UniCredit, despencou, nesta terça-feira, na Bolsa de Milão, devido a rumores de problemas de liquidez e apesar dos desmentidos do Ministério de Economia e Finanças.

UniCredit é o primeiro banco da Itália afetado pela grave crise financeira que se espalha pela economia européia.

"Estamos tranqüilos, contamos com uma notável liquidez", declarou o presidente do UniCredit, Alessandro Profumo.

A ação da entidade foi suspensa três vezes hoje, por ter ultrapassado o limite mais baixo consentido, e fechou em queda de 12,69%, cotada a 2,59 euros.

A Bolsa de Milão encerrou com uma baixa geral de 1,06%.

Ontem, as ações do UniCredit já haviam caído consideravelmente, -10,30%, situando-se em 2,9725 euros, seu patamar mais baixo dos últimos dez anos.

O Ministério da Economia e Finanças italiano divulgou hoje uma mensagem tranqüilizadora sobre a situação do setor bancário na Itália, depois que a crise financeira começou a causar estragos no Velho Continente.

"Examinamos a situação dos mercados e, segundo as análises das autoridades de controle e regulamentação, as conseqüências (da crise) sobre o sistema bancário e de seguros italiano serão limitadas. A liquidez dos bancos italianos é a adequada", garante a nota do Ministério.

kv/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.