O banco central do Japão decidiu nesta terça-feira manter sem alterações suas taxas de juros apra estimular o crescimento da segunda economia mundial, atualmente estancado, depois de considerar que a inflação ainda não alcançou um nível alarmante.

Sem surpresas, os sete membros do comitê de política monetária do Banco de Japão (BoJ) decidiram por unanimidade manter a taxa de juros dia a dia em 0,50%, um nível extremamente baixo e no qual se acha desde fevereiro de 2007.

O Produto Interno Bruto (PIB) do Japão encolheu no segundo trimestre, vítima da queda das exportações, da redução do consumo interno e do recuo dos investimentos, o que aumenta o risco de recessão.

O PIB do Japão, segundo maior do mundo atrás do dos EUA, acusou uma baixa de 0,6% entre abril e junho em relação ao período que vai de janeiro a março; ou seja uma contração de 2,4% em ritmo anual, segundo dados publicados nesta quarta-feira pelo escritório do governo.

Este é o primeiro trimestre de queda do PIB em um ano para a economia japonesa, que já havia atravessado uma etapa nula na primavera de 2007.

A queda registrada no segundo trimestre deste ano é, em parte, o contragolpe do "boom" dos três meses anteriores. No período de janeiro a março, o PIB japonês havia na realidade aumentado 0,8% em relação no trimestre anterior, segundo dados revisados.

Leia mais sobre Japão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.