Pequim, 10 jul (EFE).- O estatal Banco da China indicou que ocorrerá em 2008 uma alta de 7,2% no Índice de Preços ao Consumidor (IPC), principal indicador da inflação.

Segundo um estudo realizado por seu departamento de Mercado Financeiro Global, citado hoje pela agência oficial chinesa "Xinhua", o Governo deveria adotar políticas monetárias mais rígidas para controlar a inflação e frear o excesso de liquidez e de investimento.

O IPC subiu 7,7% em maio em relação ao mesmo período de 2007.

Este índice é inferior ao de 8,5% registrado em abril, ao de 8,3% de março e ao recorde de 8,7% em fevereiro.

O Banco da China tinha indicado anteriormente que o IPC chinês subiria em termos anualizados 6,8% em 2008.

No entanto, "a alta dos preços da gasolina, do carvão e da eletricidade farão com que o IPC seja maior do que o previamente estimado", disse o Banco da China.

A inflação é um dos principais problemas da China nos últimos meses. As principais altas foram registradas em produtos que afetam diretamente a população, como os grãos e a carne de porco, alimentos básicos no gigante asiático. EFE ub/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.