Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Banco Central não quer que o PIB cresça muito em 2009, diz colunista

A decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) de manter a taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic, em 13,75% ao ano, mostra uma preocupação com o crescimento do Brasil em 2009, na opinião do colunista do iG André Perfeito.

Redação |

 

Segundo ele, o BC não quer que em 2009 o PIB brasileiro cresça muito, por uma série de motivos. "Um deles é a importação, que vem crescendo muito. Se ela continuar assim, teremos déficit comercial, e essa é a preocupação do BC", diz o economista.

Perfeito alerta que a taxa Selic não tem forte influência direta sobre as taxas cobradas dos correntistas. "Os juros que os bancos cobram dos consumidores estão relacionados à percepção da capacidade de pagamento daquele correntista. Então, se o banco acredita que o cliente terá dioficuldades para honrar o pagamento, ele cobra uma taca de juros maior, independentemente da Selic", explica.

Para Perfeito, para que a taxa de juros no Brasil caia, é preciso uma série de medidas complexas, não apenas uma questão monetária. "É preciso que o País tenha um corpo sadio: investimento em educação, infra-estrutura. Não é uma questão simples", afirma. "O juro vai começar a cair quando tivermos uma economia mais eficiente, mais igualitária, com mão-de-obra qualificada", opina.

Leia mais sobre juros

Leia tudo sobre: juros

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG