BRASÍLIA - O Banco Central (BC) usou US$ 32,8 bilhões entre 19 de setembro e 28 de outubro para conter a crise, sendo US$ 4,6 bilhões em recursos das reservas internacionais do pais com vendas no mercado de câmbio à vista. Os números foram divulgados hoje por Henrique Meirelles, presidente da autoridade monetária, em exposição no Senado.

Meirelles disse aos senadores que os US$ 30 bilhões do acordo de troca de moedas com o banco central americano (Federal Reserve) vão reforçar as reservas brasileiras. E podem ser usados para irrigar o mercado de câmbio e melhorar o financiamento às exportações.

Sem considerar as operações de ontem e de hoje, Meirelles disse que os gastos com swap tradicional somaram US$ 21,1 bilhões até a última terça-feira; com a não rolagem do swap reverso, o montante foi de US$ 1,5 bilhão; os leilões de linhas com cláusulas de recompra totalizaram US$ 5 bilhões; foi feito apenas um leilão direto para o financiamento do comércio exterior, no valor de US$ 1,6 bilhão; e as vendas no spot somaram US$ 4,6 bilhões.

Ele informou ainda, na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, que houve uma melhora na concessão das linhas de Adiantamento sobre Contrato de Câmbio (ACC), que financiam a produção dos exportadores.

(Azelma Rodrigues | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.