SÃO PAULO - Pela primeira vez desde outubro do ano passado, o Banco Central não realizou seu leilão diário de compra de dólar no mercado à vista. As atuações eram feitas para enxugar o excesso de liquidez no mercado e vinham sendo realizadas mesmo depois que o dólar firmou uma tendência de alta no começo de agosto.

Para alguns especialistas, a não atuação indica que a autoridade monetária começa a ficar preocupada como o comportamento da moeda norte-americana que sobe de forma acentuada. Em pouco mais de um mês, a taxa saiu de mínimas a R$ 1,55, para valores não registrados em mais de oito meses, acima de R$ 1,80.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.