Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Banco Central detalha novas regras para compulsório

BRASÍLIA - As compras de ativos de crédito de pequenos bancos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que forem revendidas a grandes bancos, poderão ser abatidas do compulsório a prazo em espécie pelos bancos compradores. Essa é uma das novidades anunciadas hoje pelo Banco Central (BC), em duas circulares baixadas, com novas mudanças pontuais nas regras para o compulsório sobre depósitos a prazo.

Valor Online |

O compulsório sobre depósitos interfinanceiros (DIs) de leasing foi unificado ao compulsório geral sobre depósitos a prazo, que tem alíquota de 15%. Com esse aumento da base, o BC reduziu de 70% para 60%, a parcela que deve ser recolhida em dinheiro. Segundo a assessoria, se mantivesse em 70%, a autoridade monetária corria o risco de restringir a liquidez dos bancos exigindo maior recolhimento, quando a intenção é exatamente oposta.

Outra alteração é sobre o valor das linhas em dólares que os bancos podem tomar junto ao BC para o financiamento de exportação. Antes, o valor global desse empréstimo podia ser deduzido compulsório a prazo. Agora, cai para 20% do valor.

Também em função do aumento da base dessa modalidade de compulsório, o BC reduziu de 5% para 4% a alíquota adicional exigida sobre os depósitos a prazo.

Para estender benefícios a carteiras e ativos de crédito adquiridos de instituições financeiras de pequeno porte, a partir de agora, o BC prorrogou de 31 de dezembro próximo até 31 de março de 2009, a possibilidade de abater esses ativos da parcela de compulsório a prazo em espécie.

(Azelma Rodrigues | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG