Tamanho do texto

Bancários de todos os Estados entraram hoje em greve por tempo indeterminado, informou a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), ligada à Central Única dos Trabalhadores (CUT). A decisão foi tomada na noite de ontem, em assembléias realizadas nos 148 sindicatos em todo o Brasil.

A categoria reivindica reposição salarial de 7,15%, por conta do efeito da inflação, e mais 5% de aumento real, além da valorização dos pisos, auxílio-creche no valor de R$ 415, vale-refeição no valor de R$ 17,50 por dia e Participação nos Lucros e Resultados (PLR) composta de três salários, mais valor fixo de R$ 3.500.

No dia 30 de setembro, os sindicatos nacionais já realizaram uma greve que durou 24 horas, após rejeitarem, no dia anterior, proposta feita pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) que previa reajuste de 7,5% e PLR inferior ao pago em 2007. Hoje, às 17 horas, os bancários do Brasil inteiro realizam assembléias para avaliar a paralisação e definir as próximas ações.

São Paulo

Cerca de 10 mil trabalhadores aderiram à greve na capital e na Grande são Paulo, segundo balanço parcial do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região. De acordo com a associação, 261 locais de trabalho, entre agências e prédios administrativos, permaneceram fechados nesta manhã. O sindicato dos bancários afirma, no entanto, que o auto-atendimento aos clientes não será atingido pela paralisação. No Estado, a categoria conta com 434 mil profissionais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.