Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bancários de todo o País entram no 3º dia de greve nesta sexta

BRASÍLIA - Bancários de todo o País entram, nesta sexta-feira, no seu terceiro dia de greve. A paralisação por tempo indeterminado tenta forçar os bancos a aceitar uma pauta de reivindicações salariais e de benefícios exigida pela categoria, informou o sindicato, que estima que já são 4.300 agências paradas em todos os Estados.

Redação com agências |

 

Acordo Ortográfico

Para esta sexta, estão previstas assembléias e atos em diversas cidades. No sábado, o Comando Nacional dos Bancários se reúne em São Paulo para decidir os rumos da negociação.

Em São Paulo, assembléia realizada na última quinta-feira decidiu que a greve se mantém pelo menos até segunda-feira na região. Ainda não foi divulgado o balanço do terceiro dia de greve, mas, no segundo, cerca de 744 agências e 11 centros administrativos da região ficaram fechados, de acordo com o sindicato local. Aderiram ao movimento 35.150 bancários, o equivalente a 29,3% do total de trabalhadores, segundo informou a entidade.

Em Curitiba, o dia começa com 160 das 329 agências fechadas e também 11 Centros Administrativos paralisados. Segundo a assessoria do sindicato da categoria, 13,3 mil trabalhadores pararam na capital e região metropolitana. No interior, cerca de 2,5 mil bancários aderiram a paralisação em 140 bancos.

Ainda não foram divulgados balanços de outros Estados.

De acordo com o sindicato, a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) havia proposto em negociações no último dia 29 de setembro um reajuste de 7,5% e uma Participação nos Lucros e Resultados (PLR) menor do que a paga em 2007. Segundo a nota, a proposta dos bancos representaria uma perda de até R$ 1.800 na PLR. A oferta foi rejeitada e não houve diálogo desde então.

"Os bancários vão parar por aumento real de salários, valorização nos pisos e PLR maior e mais justa", disse Luiz Cláudio Marcolino, presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, no comunicado.

Ainda de acordo com a entidade, o auto-atendimento não será atingido pela greve. "As direções dos bancos decidem se fecham ou mantêm aberta a área dos caixas eletrônicos", afirmou a nota.

O Brasil conta hoje com 434 mil bancários, dos quais 120 mil estão na base do Sindicato dos Bancários de São Bernardo, Osasco e Região.

Pagamentos em dia

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) divulgou nota orientando quem está tendo dificuldades de pagar contas a usar as agências que não estão paralisadas e os canais de atendimento remoto. Na mesma nota, a Fenaban diz que "confia que chegará brevemente a um acordo com os sindicatos de bancários".

Além dos pontos de atendimento remoto, quem precisa dos serviços bancários pode usar os correspondentes não bancários, como as casas lotéricas, agências dos correios, redes de supermercados e outros estabelecimentos comerciais credenciados. Os serviços pela internet, pelo telefone e o débido automático também são recomendados.

Leia também:

 

Leia mais sobre: bancários

Leia tudo sobre: bancáriosgreve

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG