Os bancários de São Paulo, Osasco e Região entraram hoje em seu terceiro dia de greve. Segundo informações do sindicato da categoria, as atividades nos prédios administrativos dos bancos Santander, Safra, Unibanco, HSBC e Banco do Brasil estão paralisadas.

Nas agências bancárias, a greve teve início na região central da capital paulista e deve se estender para as demais regiões da cidade durante o dia.

Segundo balanço do sindicato, ontem pararam 744 agências bancárias e 11 centros administrativos, onde estão instaladas as centrais de atendimento telefônico e da área de sistemas do Itaú, Bradesco, Real, Unibanco, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.

Estima-se que 35.150 bancários foram abrangidos pela greve, o que representa 29,3% dos 120 mil trabalhadores da base de São Paulo, Osasco e Região.

A categoria reivindica aumento real de 5% (além da inflação de 7,15%), valorização dos pisos, auxílio-creche de R$ 415, vale-refeição de R$ 17,50 por dia, além de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) composta de três salários mais valor fixo de R$ 3.500.

Os bancários rejeitaram, no dia 24 de setembro, a proposta dos banqueiros que previa reajuste de 7,5% e PLR menor do que a paga no ano passado. Até agora não há negociação marcada.

Os bancários pretendem realizar hoje uma passeata pela região central da cidade, saindo às 15 horas da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), no centro da cidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.