Tamanho do texto

SÃO PAULO - Embora os brasileiros gerem um grande tráfego em sites multimídia (que incluem recursos mais pesados como vídeos), o tempo gasto nessas páginas ainda é muito limitado. Um estudo feito pela consultoria norte-americana comScore mostra que a baixa penetração de acesso a internet de banda larga no país é um dos fatores limitantes ao consumo mais intenso de conteúdos multimídia.

Segundo o diretor-geral da comScore para a América Latina, Alex Banks, embora o brasileiro acesse sites multimídia tanto quanto usuários de outros países, a baixa taxa de transferência das conexões discadas inibe uma permanência mais prolongada. Isso, por sua vez, impede um consumo maior através da internet e a exposição a publicidade de anunciantes.

"Como um mercado de internet em desenvolvimento, o Brasil ainda tem uma penetração de banda larga relativamente baixa, o que tende a inibir grandes períodos de consumo de conteúdo multimídia por conta da baixa velocidade de download", afirma Banks. "Ainda assim, as freqüentes visitas dos usuários de internet brasileiros a sites dessa categoria indicam forte demanda latente, o que significa que à medida que cresça o uso de banda larga, o tempo gasto com esse conteúdo deve aumentar consideravelmente", acrescentou.

Segundo o levantamento da comScore, dos 20 sites multimídia mais acessados pelos brasileiros, 12 deles têm como função principal a distribuição de vídeos. O YouTube.com, da gigante Google, domina essa lista, com um tráfego de 11,5 milhões de visitantes apenas em julho. Em segundo lugar aparece o site Globo Videos, com 8,3 milhões de visitantes. Mesmo assim, de todas essas páginas, apenas o YouTube.com registra um tempo médio de permanência dos usuários acima de dez minutos (12,9 minutos, em média).

"(José Sergio Osse | Valor Online)"