Os produtores independentes de petróleo da Bahia passarão a contar com uma nova refinaria para entregar seu produto a partir de abril deste ano. Com investimentos de R$ 20 milhões, a Dax Oil, empresa fabricante de solventes, vai entrar na área de refino, com expectativa de processar em média 2,5 mil barris por dia.

Segundo um dos sócios do projeto, Cyro Valentini, esse volume nem sequer é produzido atualmente no recôncavo baiano, apesar de haver capacidade produtiva para isso nos campos exploratórios sob concessão na região. "Os investidores nos pequenos campos de produção andaram um pouco desanimados com as dificuldades de venda de seu petróleo e acabaram reduzindo o ritmo. Acreditamos que, com a nossa entrada no mercado, esse cenário deve mudar", disse.

Junto com a refinaria de Manguinhos, no Rio de Janeiro, e da Univen, em Itupeva (SP), a Dax Oil será a terceira refinaria privada existente no Brasil, num mercado dominado pela Petrobras, com suas 14 unidades. "Não há a menor intenção de chegar perto de uma concorrência, mas agregar valor ao nosso produto e atender a uma parte do mercado industrial local", disse Valentini.

Segundo ele, dos 2,5 mil barris processados, 50% serão destinados a produzir um tipo de óleo combustível usado nas indústrias. Outros 30% serão usados para fabricar um subproduto entre o querosene e o diesel, também usado na indústria. E ainda serão usados 20% para a fabricação da nafta destinada ao solvente. Hoje a Dax produz em média 1,5 milhão de litros de solvente por dia. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.