Santiago do Chile, 24 dez (EFE).- A presidente do Chile, Michelle Bachelet, pediu hoje aos chilenos para enfrentar com unidade os efeitos que a crise financeira mundial terá no país, especialmente seu impacto no emprego, em 2009.

"O ano de 2009 não será um ano fácil", disse Bachelet após visitar uma creche na capital.

"Mas, assim como sou realista e sempre falo as coisas com a verdade, também acho que se todos nos unirmos e ficarmos juntos, vamos poder agüentar bem o impacto que a crise possa ter em nosso país", destacou Bachelet.

A governante reafirmou as previsões pessimistas para 2009 em matéria econômica devido à desaceleração mundial, justo em um ano marcado no Chile pelas eleições presidenciais e parlamentares fixadas para fins de dezembro.

Diante da crise econômica global, alguns setores produtivos chilenos, como o florestal e o da construção, paralisaram prédios ou projetos imobiliários, enquanto na mineração foram interrompidas ampliações perante a queda no preço das matérias-primas.

Nos últimos meses, Bachelet lançou vários pacotes de medidas econômicas para combater os efeitos da crise internacional no Chile, o que foi avaliado por diferentes setores e se refletiu em uma melhoria de sua popularidade nas pesquisas.

Para 2009, estima-se uma expansão da economia chilena em uma categoria de entre 2% e 3%, contra 4%-4,5% do crescimento previsto para este ano. EFE mc/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.