Tamanho do texto

PORTO PRÍNCIPE (HAITI) - Um avião brasileiro com 11 toneladas de medicamentos deve chegar hoje ao Haiti, como parte da ajuda humanitária às vítimas dos furacões que atingiram o país caribenho. O Brasil já havia enviado 14 toneladas de alimentos.

Segundo o comandante da força da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (Minustah), o general brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz, na última quarta-feira foram distribuídos alimentos suficientes para abastecer 4,5 mil famílias durante 15 dias.

Até agora, muita coisa foi prometida e chegou para a ajuda humanitária, como ressaltou o embaixador brasileiro em Porto Príncipe, Igor Kipman. "Eu fico feliz de poder dizer que há comida suficiente para o povo haitiano até o final do ano, graças às doações internacionais."
O embaixador disse que já dispõe de US$ 100 mil para comprar alimentos no próprio Haiti. Os Estados Unidos já autorizaram a doação de US$ 45 milhões, além de mandar um navio e helicópteros para o resgate de pessoas isoladas. O Canadá também mandou uma fragata, um navio francês foi deslocado para o país, além de um navio uruguaio que estava já ancorado.

Com os botes de borracha brasileiros, 400 pessoas foram resgatadas de telhados de casas, nas ruas alagadas. "Eu vou pecar por omissão porque é uma lista imensa, há uma preocupação muito grande da comunidade internacional", disse Kipman.

Em todo o país, desde 25 de agosto até a primeira semana de setembro, pelo menos 423 pessoas morreram, segundo dados oficiais do Departamento de Defesa Civil haitiano. Outras 69 pessoas estão desaparecidas e há 307 feridos.

No total, desde a passagem do furacão Fay, mais de 131 famílias, ou 800 mil pessoas, foram afetadas, em torno de 10% da população. De acordo com a Defesa Civil, mais de 13 mil casas foram completamente destruídas e quase 54,5 mil, danificadas de alguma forma.

(Agência Brasil)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.