O secretário do Tesouro dos EUA, Henry Paulson, o presidente do Federal Reserve Bank de Nova York, Timothy Geithner, e representantes de cerca de 30 instituições financeiras de vários países reuniram-se hoje na busca de uma solução para a crise do banco de investimentos Lehman Brothers, que abalou a confiança nos mercados financeiros. As conversações acontecem a portes fechadas na sede do Fed de Nova York (um dos 12 distritos regionais do banco central norte-americano) e os participantes estão sendo pressionados a encontrar uma solução antes da reabertura dos mercados asiáticos na segunda-feira (noite de amanhã em Brasília).

Uma fonte citada pelo Wall Street Journal disse que uma resolução poderia ser divulgada ainda na noite de hoje.

A idéia do Departamento do Tesouro e do Fed é articular uma operação de socorro do setor privado ao Lehman Brothers que não exija o desembolso de recursos públicos. Isso poderia envolver a venda do banco inteiro ou sua divisão em várias partes, que seriam vendidas separadamente. A possibilidade de criar uma entidade que assumisse os ativos "podres" do Lehman Brothers, para facilitar a venda da parte saudável, era um dos principais temas em discussão.

Das cerca de 30 instituições financeiras que participaram das reuniões deste sábado, os nomes mais citados como possíveis compradores são o Bank of America, o britânico Barclays, o japonês Nomura Securities, o francês BNP Paribas e o alemão Deutsche Bank. Todos esses bancos se recusaram a fazer qualquer declaração.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.