O departamento do Tesouro e a Reserva Federal iniciaram nesta quinta-feira discussões com o Congresso americano em busca de um amplo plano para ajudar os bancos a escapar de suas dívidas incobráveis, principal causa da atual crise financeira, informou um porta-voz oficial.

Os funcionários envolvidos vão explorar "todas as opções legislativas e administrativas, e esperam trabalhar durante o fim de semana com os líderes do Congresso para encontrar uma forma de sair" da crise, assinalou o porta-voz do Tesouro, Brookly McLaughlin.

As negociações incluem o secretário do Tesouro, Henry Paulson, o presidente do Federal Reserve (Fed), Ben Bernanke, e os principais representantes democratas e republicanos no Congresso americano.

Paulson e Bernanke analisam com os congressistas um modo de "enfrentar o problema dos ativos sem liquidez nos balanços dos bancos, que são a fonte das profundas tensões atuais em nossas instituições e mercados financeiros", disse McLaughlin.

"Vamos trabalhar em estreita colaboração com o Congresso para resolver esta crise financeira e colocar nossa economia em movimento", garantiu Bernanke, ao lado de Paulson, do líder da maioria democrata no Senado, Harry Reid, e da presidente democrata da Câmara de Representantes, Nancy Pelosi.

Segundo a imprensa americana, o Tesouro e o Fed analisam uma solução semelhante à adotada nos anos 80 para pôr fim à crise das instituições de poupança e empréstimos (Savings and Loans).

Na época, as autoridades estabeleceram uma estrutura de financiamento público destinada a comprar os ativos de risco dessas instituições.

McLaughlin destacou que Paulson e Bernanke planejam trabalhar "durante todo o final de semana com os responsáveis do Congresso para chegar a uma solução".

O presidente americano, George W. Bush, se reuniu hoje com Paulson, Bernanke; o presidente da SEC (órgão regulador do mercado americano), Christopher Cox; o chefe do Conselho Econômico da Casa Branca, Edward Lazear; e o conselheiro Keith Hennessey.

Antes do encontro, Bush garantiu que seu governo tomará as medidas necessárias para restabelecer a estabilidade nos mercados e a confiança nos investidores.

fga/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.