grande preocupação com hipotecas - Home - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Autoridade financeira holandesa expressa grande preocupação com hipotecas

Haia, 23 dez (EFE).- A Autoridade para os Mercados Financeiros (AFM, em inglês) da Holanda expressou sua grande preocupação com a facilidade com que os bancos concederam hipotecas no país, grande parte das quais estão livres de amortizações obrigatórias.

EFE |

Em entrevista publicada hoje pelo jornal holandês "De Volkskrant", o presidente da AFM, Hans Hoogervorst, diz que, "de todas as hipotecas, quase a metade está livre de amortizações obrigatórias, o que é muito (...) e se transforma em um problema diante das circunstâncias atuais, como o crescente índice de desemprego e a queda dos preços das casas".

As hipotecas livres de amortizações obrigatórias são aquelas nas quais o cliente paga uma renda mensal ao banco, mas não tem obrigação de devolver periodicamente o capital emprestado, sendo o próprio imóvel o aval principal para a hipoteca.

No caso que a renda não possa ser paga, o cliente deve vender sua casa, mas ficará endividado se o valor da mesma caiu a respeito do preço de compra.

Segundo Hogervoorst, "as pessoas que pedem uma hipoteca livre de amortizações obrigatórias não constituem capital, o que não representa um problema quando sobem os preços no mercado imobiliário, mas é um risco neste momento".

A AFM acha que talvez tenha que aplicar às entidades financeiras multas mais elevadas para evitar que sejam concedidas hipotecas altas demais a respeito dos salários.

A legislação holandesa permite às autoridades financeiras multar as entidades que concedem hipotecas "não responsáveis" a seus clientes, disse à Agência Efe Paul van Dijk, porta-voz da AFM.

"As entidades financeiras são obrigadas a respeitar a lei de concessão responsável de crédito e, se não respeitarem determinadas regras, podemos multá-las", disse Van Dijk, que especificou que a multa máxima, neste momento, é de 5 mil euros.

O Parlamento holandês tramita uma proposta do Governo para que seja possível elevar a quantia máxima dessas multas a 500.000 euros, disse o porta-voz. EFE mr/an

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG