Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Austrália pede ajuda para formar Comunidade Ásia-Pacífico

Kuala Lumpur, 12 ago (EFE) - O primeiro-ministro australiano, Kevin Rudd, pediu hoje para China, Estados Unidos, Índia e Japão para ajudá-lo a formar sua proposta de uma Comunidade Ásia-Pacífico inspirada na União Européia (UE) até 2020.

EFE |

Rudd se encontra de visita oficial em Cingapura, onde assegurou que a região precisa de um bloco que possa tratar de assuntos políticos e militares, não só econômicos como os que aborda o Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec), ao qual a nova organização poderia substituir.

"O desafio é como construir uma instituição na qual os atores regionais possam discutir também temas políticos e de segurança", disse em seu discurso o chefe de Governo australiano.

Rudd apostou em implicar no projeto todos os países da região para estreitar laços, promover uma maior cooperação em assuntos como mudança climática, comércio e gestão de emergências, assim como uma relação mais estreita entre as Forças Armadas.

A Comunidade Ásia-Pacífico proposta pela Austrália incluiria um acordo regional de livre-comércio e um espaço crucial para a colaboração na luta contra o terrorismo e segurança energética e de recursos.

Inicialmente, seria integrada pelas 21 economias que agora formam o Apec, junto à Índia, e se somariam as organizações e fóruns regionais existentes, como a Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean), ou o Fórum da Ásia Oriental.

O Apec é formado por Austrália, Brunei, Canadá, Chile, China, Coréia do Sul, Estados Unidos, Filipinas, Hong Kong, Indonésia, Japão, Malásia, México, Nova Zelândia, Papua-Nova Guiné, Peru, Rússia, Cingapura, Tailândia, Taiwan e Vietnã. EFE snr/db

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG