BRASÍLIA - A dívida pública interna em títulos de curto prazo aumentou para 28,3% do total em maio, somando R$ 350,77 bilhões, enquanto em abril estava em R$ 329,17 bilhões, ou 27,01% do global. O Tesouro Nacional informou em relatório que os papéis prefixados representam 54,49% da parcela a vencer nos próximos 12 meses.

O prazo médio do estoque de envidamento da União no mercado financeiro doméstico caiu de 39,26 meses em abril para 38,84 meses em maio. Já o prazo médio dos papéis emitidos em maio foi de 49,24 meses.

As emissões líquidas superaram os resgates em maio no valor de R$ 8,5 bilhões. Enquanto os resgates totalizaram R$ 14,4 bilhões, as emissões ficaram em R$ 22,9 bilhões. Foram retirados do mercado R$ 6,5 bilhões em papéis vencidos no mês e R$ 7,1 bilhões em operações de compra e troca.

Entre os títulos lançados pelo Tesouro no mês, a maior demanda foi por prefixados, que representaram 37% ou R$ 8,5 bilhões do total, seguidos pelos indexados à taxa básica Selic (pós-fixados), em R$ 7,6 bilhões ou 33,23%.

Entre as vendas de títulos, R$ 97,06 milhões foram feitas por meio do programa Tesouro Direto, sistema que permite que as pessoas físicas apliquem diretamente em títulos públicos via internet.

Esse programa acrescentou 3.054 novos investidores em maio, elevando o total de cadastrados a 118.717. O estoque de aplicações no Tesouro Direto chega a R$ 1,692 bilhão.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.