O ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, não participarão da audiência pública da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, marcada para esta quarta-feira. O pedido de adiamento da reunião partiu do ministro Mantega, mas não houve justificativa para a ausência.

Os dois caciques da equipe econômica do governo foram chamados ao Senado para discutir com os parlamentares sobre a atual crise financeira mundial e os mecanismos de políticas de salvaguardas da estabilidade do sistema financeiro nacional. Mantega e Meirelles prestaram esclarecimentos no plenário da Câmara nesta quarta-feira.

O presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), se disse surpreso com a negativa de vinda dos dois e ameaça convocá-los a falar ao Senado. Na condição de convocados, não podem faltar sem justificativa.

"Estamos diante de uma crise de proporções gigantescas, que não é uma crise só do nosso sistema financeiro, é uma crise do sistema financeiro mundial. E todas as autoridades estão tomando essas providências de acordo com o Congresso", disse Garibaldi. "Somos nós que queremos explicações da parte do Governo de como agirá diante dessa crise que vem causando essa insegurança e, por outro lado, no nosso caso temos principalmente a alta do dólar de forma a comprometer o esforço que tem sido feito pelo desenvolvimento do País".

Garibaldi recebeu apóio em plenário de líderes da oposição e até mesmo de senadores da base aliada do governo e decretou um dia de prazo para Guido Mantega e Henrique Meirelles marcarem uma nova data com a CAE.

Mais notícias

Para saber mais

Serviço 

Opinião

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.