Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Audi depõe amanhã com mais ataques a Teixeira

O empresário Marco Antonio Audi, um dos três sócios brasileiros da VarigLog, vai depor amanhã na Comissão de Infra-Estrutura do Senado. A confirmação foi feita pelo advogado de Audi, Marcello Panella, em carta enviada ontem à tarde ao presidente da comissão, Marconi Perillo (PSDB-GO).

Agência Estado |

Audi pediu ao presidente da comissão uma hora e meia para falar sobre a compra da VarigLog e da Varig, antes de responder às perguntas dos senadores. Segundo pessoas ligadas ao empresário, Audi deve não só repetir as denúncias contra o advogado Roberto Teixeira, como levantar novas questões sobre o caso Varig.

Teixeira, por sua vez, ainda não confirmou se vai atender o convite para prestar depoimento. Ele também foi convidado para a sessão de amanhã da Comissão de Infra-Estrutura, mas segundo sua assessoria de imprensa ainda não decidiu se vai falar. Há duas semanas, o advogado se apresentou ao Congresso, mas seu depoimento foi cancelado a pedido dos senadores.

Em seu depoimento de amanhã, Audi deve apresentar novas questões sobre o interesse de Teixeira na VarigLog. Nas últimas semanas, Audi fez uma série de denúncias sobre a atuação do advogado. Disse que sua influência no governo foi decisiva para aprovar a venda da VarigLog na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Audi também contou que Teixeira recebeu US$ 5 milhões para cuidar do caso, um valor bem mais alto do que o cobrado por bancas tradicionais de advocacia.

Em seu depoimento, Audi deve apresentar os documentos que comprovam os pagamentos de US$ 5 milhões e contar como os interesses de Teixeira estão entrelaçados com os de Lap Chan, sócio do fundo de investimentos americano Matlin Patterson, dono da maior parte do capital da VarigLog.

Audi lembrará que a filha de Roberto Teixeira, Larissa Teixeira, é diretora, junto com Lap Chan, de duas empresas de São Paulo cuja atividade principal é a administração de imóveis. Larissa divide com Lap Chan a administração das empresas Aliança Participações S.A. e Belenos Participações Empreendimentos S.A., como informou o Estado em reportagem no dia 14 de junho. Larissa trabalha e é sócia do pai no escritório Teixeira, Martins & Advogados.

Outra ligação que será lembrada por Audi é a nomeação de dois conselheiros da VarigLog por Roberto Teixeira. Segundo reportagem do jornal Gazeta Mercantil, os empresários Paulo de Tarso Vianna Silveira e Ricardo Vastella Junior são ligados a Teixeira e aparecem em processos relacionados à própria VarigLog e à Transbrasil - Teixeira também foi advogado da Transbrasil.

Segundo pessoas ligadas a Audi, ele vai falar ainda sobre a atuação de Teixeira na tentativa de transferir os recursos da VarigLog para o fundo Matlin Patterson. Logo depois de assumir, por ordem judicial, o controle da VarigLog, o fundo tentou transferir cerca de US$ 90 milhões que estavam num banco na Suíça para sua conta nos EUA. O fax enviado ao banco na Suíça partiu do escritório de Teixeira.

Como a tentativa de transferência contrariava uma ordem da Justiça paulista que proibia a operação, o juiz José Paulo Magano, da 17ª Vara Cível de São Paulo, pediu à Polícia Federal que investigasse os sócios da VarigLog - e o escritório de Roberto Teixeira - por formação de quadrilha.

As críticas de Audi deverão se concentrar em Teixeira. Audi tem evitado falar sobre o governo federal, a ministra Dilma Rousseff ou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG