Muitos vôos internos foram atrasados ou cancelados neste fim de semana na Argentina, devido ao overbooking e a problemas de manutenção prévios à entrega ao Estado do controle da Aerolineas Argentinas (AA), que era gerenciada pela empresa espanhola Marsans.

"Houve um importante overbooking", admitiu neste domingo o novo presidente da AA, Julio Alak, designado na semana passada pelo governo de Cristina Kirchner.

Neste domingo, nove vôos internos estavam atrasados e outros oito previstos para a tarde foram remarcados para seis a sete horas depois, informaram as autoridades. Os atrasos já ocorrem desde sexta-feira.

O caos se extende pelos aeroportos de o de Ezeiza (para vôos internacionais) e o Aeroparque (vôos internos) e impede alguns brasileiros de retornarem ao Brasil. Alguns brasileiros já estavam há mais de 24 horas esperando para embarcar de volta para casa. Uma mulher passou mal pois estava sem seus medicamentos.

A Infraero informou que o primeiro vôo da Aerolineas Argentinas de hoje deveria chegar ao Aeroporto Internacional de Guarulhos às 9h30, mas até o meio-dia não havia aterrisado, segundo a Globonews.

Passageiros prejudicados

De acordo com o dentista Marcelo Garborossa, em entrevista à Globonews, o vôo da companhia Aerolíneas Argetinas foi remarcado cinco vezes e desde as 5h deste sábado os viajantes esperam uma aeronave para o retorno.

A situação é muito difícil, disse Garborossa. Segundo ele, a Aerolíneas não deixou que eles saíssem do aeroporto e não permitiu que o grupo tivesse acesso as bagagens trazidas na viagem. A companhia alegou que não teria combustível ou piloto disponível para o vôo de retorno, por isso o atraso teria ocorrido, disse o dentista. Ele alegou que pode haver algo de caráter político.

Outra passageira, Lucia Perrotta, disse que há pessoas que aguardam o retorno ao Brasil há mais de 46 horas e que a companhia aérea não dá o menor respaldo para o grupo, que seria composto por viajantes de pelo menos três aviões.

Segundo ela, em entrevista a Globonews, há pessoas passando mal que estão sendo impedidas de terem acesso às bagagens. Lucia informou que os passageiros estão bastante revoltados e que um princípio de tumulto está se formando no Terminal A do setor de embarque da Aerolíneas.

Nesse sábado, o cantor Zeca Pagodinho sofreu com um atraso de mais de cinco horas para retornar do País pela companhia. Na semana passada, a presidente da Argentina Cristina Fernández de Kirschner anunciou oficialmente a estatização das Aerolíneas.

Com informações da AFP e da Agência Estado



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.