Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Atraso em programa militar e vendas de aviões mais baratos levam a baixa de 19% no lucro da Boeing

SÃO PAULO - O prejuízo com o atraso de um programa militar e o cronograma de vendas de aviões comerciais, que se concentrou em produtos menos rentáveis, fizeram baixar o lucro líquido da Boeing no segundo trimestre deste ano, ante igual período de 2007. O ganho da empresa ficou em US$ 852 milhões ao fim de junho, 19% abaixo do registrado no mesmo intervalo do ano passado. Ainda assim, a empresa manteve suas expectativas para o ano.

Valor Online |

De acordo com a Boeing, seu faturamento ficou praticamente estável no segundo trimestre, ante o mesmo período de 2007. As vendas totais da companhia passaram de US$ 17,02 bilhões para US$ 16,96 bilhões no intervalo.

O lucro operacional, por sua vez, caiu 17%, para US$ 1,24 bilhão. Como resultado, a margem operacional da companhia recuou 1,4 ponto percentual, para 7,4% ao fim de junho deste ano.

"Embora tenhamos enfrentado algumas dificuldades neste trimestre, que afetaram nossos resultados, continuamos confiantes em nossa expectativa para o restante deste ano e de 2009", afirmou o presidente do conselho, presidente e executivo-chefe da Boeing, Jim McNerney. "A forte demanda global por nossos produtos e serviços, uma carteira recorde e a concentração sustentada na melhoria da produtividade e na execução continuarão a trazer crescimento e lucratividade para essa companhia", acrescentou.

A carteira de pedidos da companhia, que fechou o segundo trimestre em US$ 346,1 bilhões, permaneceu praticamente estável em relação aos três meses anteriores, quando estava em US$ 346,2 bilhões. Ao fim de junho deste ano, a carteira de pedidos da divisão comercial acumulava US$ 274,5 bilhões, e a área de sistemas militares tinha carteira de US$ 45,6 bilhões.

Entre abril e junho, a companhia entregou 126 aeronaves comerciais e 21 militares. No mesmo período de 2007, a Boeing entregou 114 aviões civis e 27 aparelhos militares, além de um satélite civil.

Segundo a fabricante, embora as entregas tenham aumentado em relação ao segundo trimestre do ano passado, o lucro operacional da divisão de aviação civil caiu 19%, para US$ 777 milhões. Isso ocorreu principalmente por conta da participação maior nas vendas de aeronaves menores e menos lucrativas. O resultado também foi impactado pelo custos e gastos maiores relacionados aos atrasos no programa do 787 Dreamliner. No total, a companhia acumulou 187 pedidos novos nos três meses entre abril e junho.

Já na divisão de sistemas militares, o lucro operacional caiu 25%, para US$ 637 milhões, entre os segundos trimestres de 2007 e 2008, muito embora o faturamento da divisão tenha ficado estável nesse período, em US$ 7,93 bilhões. A queda, portanto, foi causada principalmente pela perda de US$ 248 milhões relacionadas aos atrasos no programa da aeronave de vigilância 737-AEW & C.

Para o fechado do ano, a Boeing manteve suas expectativas financeiras, assim como aquelas para o ano que vem. Assim, a empresa espera faturar entre US$ 67 bilhões e US$ 68 bilhões em 2008, com lucro por ação de entre US$ 5,70 e US$ 5,85. Nos 12 meses até dezembro, ela espera entregar entre 475 e 480 aeronaves comerciais. Já para 2009, a projeção é obter faturamento entre US$ 72 bilhões e US$ 73 bilhões, com lucro por ação entre US$ 6,80 e US$ 7,00. No ano que vem, a Boeing tem a intenção de entregar entre 500 e 505 aeronaves a seus clientes.

Leia mais sobre lucros

Leia tudo sobre: boeinglucros

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG