Nova York, 2 fev (EFE).- A atividade do setor manufatureiro nos Estados Unidos contraiu em janeiro, mas a um ritmo um pouco menor que no mês anterior, segundo cálculos divulgados hoje pelo Instituto de Gestão de Fornecimento (ISM, na sigla em inglês).

O índice de atividade elaborado por essa entidade ficou em 35,6 pontos no mês passado, comparado aos 32,9 pontos de dezembro e os 32,5 pontos que os economistas esperavam.

Um registro superior a 50 pontos reflete um avanço generalizado da atividade no setor, e abaixo desse nível indica uma contração, o que já ocorreu durante os últimos 12 meses.

O subíndice que mede os novos pedidos às empresas do setor, subiu em janeiro para 33,2 pontos, frente aos 23,1 pontos anteriores, o que reflete, no entanto, a frágil situação em que se encontra o setor, segundo o ISM.

O subíndice que avalia o emprego se manteve em 29,9 pontos e o correspondente aos preços que as empresas pagaram por bens e serviços para desenvolver sua atividade subiu para 29 pontos, frente aos 18 pontos de dezembro.

A produção no setor mostrou uma certa recuperação em janeiro a respeito do mês anterior e o subíndice que mede essa variável ficou em 32,1 pontos, diante dos 26,3 pontos anteriores.

"Os comentários de nossos entrevistados indicam que será necessária uma recuperação no âmbito de automóveis e habitação para que o setor da manufatura volte a prosperar de novo", disse, em comunicado à imprensa, o especialista do ISM Norbert Ore na divulgação dos dados.

Ressaltou também o baixo nível dos pagos pelos fabricantes, o que, na sua opinião, pode beneficiar os consumidores. EFE vm/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.