Tamanho do texto

SÃO PAULO - Os eventos domésticos centram as atenções durante a semana. O ponto alto é a quinta-feira, com a divulgação da ata do Comitê de Política Monetária (Copom), que elucida as razões que levaram o Banco Central a manter a taxa Selic em 10,75% ao ano.

SÃO PAULO - Os eventos domésticos centram as atenções durante a semana. O ponto alto é a quinta-feira, com a divulgação da ata do Comitê de Política Monetária (Copom), que elucida as razões que levaram o Banco Central a manter a taxa Selic em 10,75% ao ano. O dia também reserva o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de agosto. Nesta segunda-feira, o mercado local opera sem o referencial americano, pois as bolsas em Wall Street estão fechadas em função do feriado pelo Dia do Trabalho. A agenda do dia traz apenas a pesquisa Focus e o comportamento semanal da balança comercial. Na terça-feira é o mercado local que não opera. Mas a agenda externa não reserva eventos de grande importância. Na quarta-feira, os agentes locais voltaram do feriado e conhecem a sondagem do setor de serviços da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a variação semanal do Índice de Preços ao Consumidor (IPC-S), os dados do setor automobilístico da Anfavea e a parcial do fluxo cambial. Nos Estados Unidos, foco no Livro Bege do Federal Reserve (Fed). Já na quinta-feira, além da ata do Copom e do IPCA, os investidores acompanham a reunião do Banco da Inglaterra (BoE). A semana acaba com o IPC, da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI). (Eduardo Campos | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.