Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Assessor de premiê belga é investigado por ameaçar promotor

Bruxelas, 18 dez (EFE).- A Procuradoria de Bruxelas abriu hoje investigação disciplinar contra um assessor do primeiro-ministro belga Yves Leterme, acusado de enviar um e-mail ameaçando o promotor encarregado do caso Fortis.

EFE |

O assessor, Pim Vanwalleghem, teve contato com o promotor-adjunto, Paul Dhaeyer, antes de ele emitir sentença negativa a um tribunal sobre o desmembramento do grupo Fortis e a venda de seus ativos bancários na Bélgica e Luxemburgo ao banco francês BNP Paribas.

Durante estes contatos, Vanwalleghem teria incentivado Dhaeyer a dar sentença positiva e, segundo diversos meios de comunicação, inclusive lhe mandou um e-mail com ameaças.

Caso que a investigação confirme que Vanwalleghem cometeu irregularidades, ele pode sofrer uma sanção disciplinar, que pode se constituir em um aviso, uma suspensão ou, inclusive, uma cassação.

Os contatos de Vanwalleghem com o fiscal aconteceram quando um tribunal de Bruxelas estudava o processo de um grupo de acionistas minoritários que solicitavam que a venda de ativos ao banco francês BNP Paribas fosse aprovada por uma junta de acionistas.

O tribunal de primeira instância decidiu contra os acionistas, mas uma corte de apelações lhes deu a razão na sexta-feira, ao suspender as decisões que, no início de outubro, conduziram à separação dos ativos do Fortis na Holanda e à venda da maioria de seus ativos restantes na Bélgica e Luxemburgo ao BNP Paribas.

A Câmara dos Deputados aprovou ontem a criação de uma comissão para averiguar se o primeiro-ministro e seus colaboradores tentaram influenciar a Justiça neste caso, algo que Leterme nega categoricamente.

A comissão atende a uma carta enviada à Câmara pelo presidente do Tribunal de Cassação da Bélgica - mais alta instância jurídica do país -, Ghislain Londers, afirmando que o gabinete de Yves Leterme, "fez tudo o possível" para evitar a sentença de uma corte de apelação sobre o Fortis. EFE vl/jp

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG