Tamanho do texto

SÃO PAULO - O memorando de entendimentos assinado entre Banco do Brasil e a Nossa Caixa para compra do controle do banco estadual pelo federal por R$ 5,386 bilhões prevê que Assembléia Legislativa de São Paulo terá que aprovar a operação até o dia 10 de março de 2009. O acordo perde o efeito em caso de não aprovação até esta data, só sendo prorrogado com a concordância das duas partes.

No comunicado em que fala sobre a aquisição, o Banco do Brasil diz que a avaliação do valor a ser pago pela Nossa Caixa foi feita com base nas perspectiva de rentabilidade futura e o fluxo de caixa descontado. Os consultores contratados foram Merrill Lynch (assessor financeiro), PriceWaterhouseCoopers (avaliação e due diligence), Accenture (sinergias e integração) e UBS Pactual (fairness opinion).

Ao aceitar pagar R$ 70,63 por ação da Nossa Caixa, o Banco do Brasil deve gastar ao todo R$ 7,5 bilhões, incluindo a parcela paga ao governo de São Paulo e aos minoritários.

O valor de R$ 70,63 por ação representa um prêmio de 37,68% sobre o preço de fechamento da ação do banco estadual ontem, em R$ 51,30. Na comparação com a cotação máxima já alcançada pela ação da Nossa Caixa, em janeiro de 2006 (R$ 54,06), o prêmio é de 30,65%. Ante a mínima atingida pelo papel, de R$ 21,22, em 28 de março deste ano, a diferença é de 232%.