Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

As regras de etiqueta da Campus Party

As regras de etiqueta da Campus Party Por Rodrigo Martins São Paulo, 21 (AE) - A fauna de blogueiros, gamers, programadores, simpatizantes de software livre e aficionados por robótica que se reúne no mega-acampamento da segunda Campus Party Brasil tem conexão mais veloz, mais espaço, mais participantes, mais palestras que no evento do ano passado. No Centro de Exposições Imigrantes, Jabaquara, 4 mil campuseiros usam seus próprios PCs durante uma semana, conectados a 10 gigabits por segundo - o dobro da velocidade de 2008.

Agência Estado |

A área do evento saltou de 18 mil para 38 mil metros quadrados e melhor infraestrutura. No ano passado, os chuveiros estavam imundos e muitos tiveram de dividir barracas com quem nem conhecia. Na área aberta ao público, na qual mesmo quem não pagou R$ 150 para acampar poderá entrar, é possível conferir tecnologias inovadoras e/ou bizarras. Também há um "batismo digital" para ensinar a cerca de 10 mil pessoas noções básicas de como usar bem a internet.

Na área exclusiva dos campuseiros, o número de palestras e oficinas saltou de 330 para 400. Entre os convidados está Tim Berners-Lee, apontado como o "pai da internet".

Mas o grande destaque fica mesmo com os campuseiros. O fato de todos estarem juntos, conectados, tomando banho, dormindo (se é que alguém faz isso por lá), comendo, trocando ideias, baixando e subindo arquivos pela superconexão continua a ser o chamariz. "Há uma programação enorme, mas o principal segue sendo a festa, o divertimento", diz seu organizador, Marcelo Branco.

A partir desta noite, haverá baladas, sempre das 22h às 0h, para os nerds mostrarem que também são bons na pista. Será?No ano passado, os campuseiros improvisaram bailes ao som de axé, Village People e Macarena, mas a maioria preferiu ficar na frente do PC.

COMO SE COMPORTAR
O mega-acampamento nerd tem seus "padrões de etiqueta". Não é nada oficial, imposto pela organização, mas "quatro mandamentos" que surgiram na última edição valem ser seguidos.

A primeira regra - e a mais importante - é: converse com qualquer pessoa, mesmo que você nunca a tenha visto na vida e sejam de "mundos" diferentes, ou seja, você da área de blogs e ela de games. Afinal, além da probabilidade de "topar" com ela várias vezes na semana (será difícil ignorá-la após a décima vez), você está lá para fazer amigos.

Mas cuidado. A aproximação em demasia com outras tribos pode ter um efeito colateral: a conversão para outra "religião" tecnológica. Em 2008, o auxiliar de escritório Eduardo Santos, de 22 anos, foi para participar da área de astronomia, mas conheceu uma galera animada na área de software livre. "Usava Windows, não sabia nada de software livre. Mas conheci um pessoal bacana e me mudei para a área deles", diz Santos, que instalou Linux na sua máquina.

A segunda regra é baixar, baixar e baixar. Pouca gente resiste à tentação de aproveitar a superconexão para entupir seus HDs externos de filmes, seriados e músicas. É bom lembrar que em 2008 a quantidade de uploads foi maior do que a de downloads. Ou seja, os participantes colocaram mais conteúdo na web do que baixaram.

No ano passado, o analista de suporte Paulo Guedes, de 32 anos, foi ao evento para jogar. "Aí descobri a velocidade da conexão e fiquei a semana inteira baixando sem parar. Enchi cinco HDs externos", diz ele, que neste ano levará 4 terabytes de espaço para gravar. Para quê? "Downloads, é claro."
O terceiro mandamento é não se assustar com comportamentos esdrúxulos. Se alguém vier com uma placa de "abraço grátis", abrace, mesmo que seja do mesmo sexo. Se durante a madrugada, escutar gritos do nada, a etiqueta campuseira pede que grite também. Deve ser um campeonato de games. E, para amplificar o barulho, use buzinas ou outras traquitanas sonoras que tiver à mão. Se estiver no caminho de uma "ola", levante os braços também.

Por fim, prepare-se para virar notívago. Dormir não é lá uma atividade muito realizada na Campus Party e poucos pregam os olhos por mais de duas horas. Se não quiser ir para a barraca, pode, educadamente, usar o chão e alguma almofada que achar pelo caminho e tirar um cochilo. Só não vale roncar. Para manter-se acordado, prepare seu estoque de Coca-cola e café. Boa nerdstock.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG