SÃO PAULO - O governador licenciado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido), solicitou hoje a revogação de sua prisão preventiva ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). A assessoria de imprensa do tribunal confirmou o pedido, mas não revelou o seu teor, que deve ser divulgado até o final da tarde.

A possibilidade de revogação será analisada pelo ministro Fernando Gonçalves, que é o relator do caso que investiga o esquema de corrupção no DF. Arruda está preso na Polícia Federal (PF) desde o dia 11 de fevereiro acusado de tentar subornar uma testemunha envolvida no esquema de corrupção conhecido como "mensalão do DEM". O caso envolvia o suposto pagamento de propina para secretários e parlamentares distritais.

Hoje, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) também analisa o pedido de cassação do mandato de Arruda, feito pelo Ministério Público Eleitoral, por infidelidade partidária.

Arruda se desligou do Democratas (DEM), em dezembro de 2009, após a revelação das gravações em que ele e deputados distritais da base aliada aparecem recebendo dinheiro do ex-secretário de Relações Institucionais Durval Barbosa.

(Fernando Taquari | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.