BRASÍLIA - O secretário-adjunto da Super Receita, Otacílio Cartaxo, disse hoje que o governo federal fechará 2008 com a meta de arrecadação cumprida, em torno de R$ 640 bilhões. Mesmo com recuo em novembro, afetada pela desaceleração da economia, a receita de impostos atingiu no acumulado do ano R$ 619,4 bilhões (valor nominal).

O secretário admitiu que a crise financeira mundial se refletiu no lucro das empresas brasileiras e afetou a receita do governo no mês passado. Mas não deu detalhes e desconversou sobre qual era a meta mensal prevista.

A arrecadação em novembro ficou em R$ 54,729 bilhões, com queda nominal de 16,44% sobre outubro e redução real de 1,85% sobre novembro de 2007, a primeira retração mensal desde 2004. O recuo foi nos impostos diretos da Super Receita, de 15,73% sobre outubro, uma vez que as contribuições previdenciárias tiveram alta real de 0,74% na mesma comparação.

Na tributação sobre o lucro das empresas, o imposto de renda (IRPJ) teve queda nominal de 49,29% e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) de 41,62% sobre outubro.

Cartaxo lembra que a receita de outubro é inflada pelo recolhimento de tributos das empresas com base trimestral. Portanto, prefere comparar com novembro de 2007, quando há queda de 3,94% na arrecadação da CSLL e de 23,46% no IRPJ.

Ele disse que a contração esperada para dezembro, em consequência da crise, deve reduzir o ritmo do crescimento real da arrecadação para algo em torno de 8% este ano. Até novembro, a variação real acumulada era de 9,16% ante igual intervalo de 2007.

(Arnaldo Galvão | Valor Econômico e Azelma Rodrigues | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.