Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Argentina teme desvalorização da moeda brasileira

O Brasil teve em setembro um superávit comercial de US$ 269 milhões com a Argentina. Segundo a consultoria Abeceb, as exportações brasileiras para o país vizinho foram de US$ 1,723 bilhão (68% a mais do que em setembro do ano passado), enquanto que as vendas de produtos argentinos para o Brasil chegaram a US$ 1,454 bilhão (31% maiores do que no mesmo mês de 2007).

Agência Estado |

Há 64 meses, o Brasil obtém superávit comercial a Argentina.

Desde o início deste ano, a balança comercial foi favorável para o mercado brasileiro em US$ 3,83 bilhões. No entanto, a Abeceb destaca que embora significativo, o superávit brasileiro com a Argentina em setembro deste ano é 40% inferior à marca do mês de 2007. Analistas em Buenos Aires dizem que os importadores brasileiros de produtos argentinos anteciparam compras em setembro, de forma a esquivar a alta do dólar e a perda de valor do real.

Entre as principais exportações argentinas para o Brasil estão veículos e autopeças, combustíveis, trigo e plásticos. Já as principais vendas brasileiras para a Argentina foram automóveis, autopeças, celulares, tratores, compressores e laminados planos.

A balança comercial entre o Brasil e a Argentina, embora cresça a favor do mercado brasileiro em um ritmo menos acelerado do que nos anos anteriores, preocupa os empresários argentinos. Eles temem que, com a perda de valor do real, a entrada de produtos brasileiros aumente de forma substancial.

Ao longo deste ano, o Brasil mantém-se o principal sócio comercial da Argentina, absorvendo mais de 18% das vendas do vizinho ao exterior. Os produtos brasileiros representam 31% das importações totais realizadas pela Argentina. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG