Tamanho do texto

A Argentina não poderá se beneficiar do plano de liquidez a curto prazo que foi divulgado nesta quarta-feira pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) para socorrer países com dificuldades passageiras, disse o diretor-gerente do organismo, Dominique Strauss-Kahn.

Perguntado por um jornalista sobre se a Argentina poderia se beneficiar desta linha de crédito especial, Strauss-Kahn disse: "temo que o país que você mencionou não possa" participar do programa.

A medida é para os países "que enfrentam os problemas provocados pela falta de liquidez temporária nos mercados mundiais de capitais", explicou o diretor-gerente do Fundo.

A Argentina manteve uma longa queda-de-braço com o FMI e os credores internacionais, após sua crise monetária de 2001, que levou a uma moratória da dívida externa.

Posteriormente, o governo argentino decidiu cancelar, de forma antecipada, sua dívida de cerca de 9 bilhões de dólares com o Fundo.

jz/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.