Buenos Aires, 14 - O Serviço Nacional Sanitário de Qualidade Agroalimentar (Senasa) informou que as vendas de trigo argentino para o Brasil caíram 22% em volume entre janeiro e novembro de 2008 na comparação com o mesmo período de 2007. Enquanto em 2006 as vendas de trigo argentino para o País haviam sido de 6,1 milhões de toneladas, e, em 2007, de 5,6 milhões, de janeiro a novembro do ano passado somaram apenas 3,69 milhões de toneladas.

Os analistas calculam que, mesmo com as vendas em dezembro, ainda não contabilizadas, as exportações argentinas de trigo ao Brasil dificilmente devem superar 4 milhões de toneladas. Este é o menor volume de trigo exportado para o Brasil nesta década.

Por trás da queda das vendas estão restrições que o governo impôs às exportações de trigo. Cristina Kirchner determinou limitações aos embarques para garantir produto no mercado interno, e evitar altas de preço ao consumidor. Para este ano, o cenário também é complicado, já que, por causa do clima, a colheita foi menor e as exportações poderiam ser reduzidas a 1,5 milhão ou 2 milhões de toneladas.

O secretário de Agricultura, Carlos Cheppi, afirmou que o governo distribuirá US$ 66 milhões para ajudar produtores prejudicados pela grave seca que assola o país. Mas o anúncio causou frustração entre as lideranças ruralistas, que esperavam que o governo reduzisse os impostos aplicados sobre as exportações de produtos agrícolas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.