O governo argentino assinou hoje acordo formal para assumir o controle da Aerolineas Argentinas, principal companhia aérea do país. A empresa estava sob o controle do Grupo Marsans, da Espanha.

"Nosso objetivo é recuperar a companhia, operá-la novamente e calcular seu real valor", disse o ministro do Planejamento, Julio De Vido.

O Grupo Marsans terá 60 dias para transferir suas ações ao Estado argentino. O secretário de Transportes, Ricardo Jaime, disse recentemente que o governo não pretende nacionalizar permanentemente a Aerolineas, mas planeja gastar os próximos 60 dias para avaliar a empresa antes de buscar a participação dos investidores privados.

A companhia acumulou US$ 890 milhões em dívidas e perde cerca de US$ 30 milhões por mês, segundo o secretário. Grande parte de sua frota não está operando por falta de manutenção. Nos últimos anos, disputas trabalhistas provocaram milhares de atrasos e cancelamentos de vôos, o que prejudicou a reputação da companhia na Argentina e no exterior.

O Grupo Marsans tem 95% das ações da Aerolineas e 97% das ações da companhia regional Austral. O governo passará a controlar ambas as empresas. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.