A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, anunciou nesta terça-feira a abertura de uma linha de financiamento de 200 milhões de dólares para ajudar os produtores a colocar seus produtos no mundo, principalmente no mercado brasileiro, em um discurso pelo Dia da Indústria.

Kirchner antecipou que, na segunda-feira, durante uma visita ao Brasil, será fechado um acordo com o BNDES para financiar cadeias de valor associativas.

Ela também anunciou medidas para combater a competição desleal estrangeira e facilitar o financiamento da indústria local, em especial das pequenas e médias empresas.

Cristina assinará um decreto que acelera e diminui os prazos para a aplicação de normas antidumping às importações de produtos que entram com custos subsidiados de países asiáticos, em especial da China.

Kirchner indicou que a medida atende a um velho anseio dos empresários, mas advertiu que essa proteção não terá, necessariamente, impacto nos preços, nem na qualidade, nem nos prazos de entrega das mercadorias nacionais.

O pacote de medidas inclui ainda a abertura, no Banco de la Nación Argentina, principal instituição do país, de uma área de atenção exclusiva para as pequenas e médias empresas.

A chefe de Estado destacou o papel da indústria na recuperação da economia nos últimos anos e na criação de vagas de trabalho e revelou que, entre 2003 e o final de 2007, foram criadas 10.000 novas indústrias, o mesmo número de estabelecimentos que haviam fechado as portas entre 1998 e 2002.

jos/dm/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.