Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Argélia pede evitar a politização do mercado de gás

Moscou, 23 dez (EFE).- A Argélia pediu hoje ao Fórum de Países Exportadores de Gás (GECF, em inglês) para evitar a politização do setor e otimizar o mecanismo de intercâmbios de abastecimento.

EFE |

"Nossa cooperação é extraordinariamente importante para o objetivo comum de desenvolver o mercado de hidrocarbonetos, e devemos evitar que o mercado do gás seja um setor politizado", disse o ministro da Energia argelino, Chakib Khelil, na reunião ministerial do GECF, em Moscou.

Acrescentou que "a Argélia insiste na necessidade de otimizar os fluxos de gás e de ampliar os intercâmbios de provisões entre os países participantes do Fórum, para melhorar sua presença internacional", segundo a agência russa "Interfax".

O também presidente rotativo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) elogiou a Rússia por financiar um estudo do mercado mundial de gás e ressaltou que a análise mostra que, "ultimamente, aumentaram as despesas de extração, transporte e, sobretudo, de liquefação do gás natural".

O ministro argelino considerou também necessário "evitar o desequilíbrio entre a demanda e oferta de gás", e pediu para "melhorar a coordenação entre os produtores, a fim de concretizar seus planos de investimento e evitar excessos de produção em nível regional".

O ministro da Energia do Catar, xeque Abdullah bin Hama al-Attiyah, anunciou que seu país se propõe a aumentar nos próximos dois anos a produção de gás liquidificado até 7,8 milhões de toneladas.

O Catar, que dispõe de 56 navios-cisterna para o transporte de gás liquidificado, colocou esse objetivo a fim de satisfazer a crescente demanda no mundo, ressaltou.

O xeque ressaltou também que o Catar quer que Doha seja a sede do GECF, que seus integrantes pretendem, nesta reunião, transformar em uma organização permanente, para melhorar a coordenação entre eles.

O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, propôs hoje instalar a sede na cidade russa de São Petersburgo, e também são candidatos Teerã e Argel. EFE si-bsi/an

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG