A reunião de emergência da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), marcada para o dia 29 de novembro no Cairo, será apenas uma consulta, e o cartel não deve tomar nenhuma decisão sobre novas reduções da produção, disse neste domingo o ministro argelino de Energia, Chakib Khelil.

"Neste momento, a reunião (do Cairo) é, acima de tudo, uma consulta", e "os dados que teremos então provavelmente não serão suficientes para permitir uma deliberação realista", afirmou Khelil, atual presidente em exercício do cartel.

"Se não cumprimos com nossos primeiros compromissos e decidirmos por outra redução, a organização ficará desacreditada", estimou.

Em outubro, a Opep se reuniu em Viena e decidiu reduzir sua produção em 1,5 milhão de barris diários a partir de 1º de novembro.

Khelil lembrou que os países exportadores desejam manter o preço do barril entre 70 e 90 dólares.

O ministro argelino destacou que, no dia 17 de dezembro, quando a Opep realiza uma reunião em Orã, na Argélia, os países membros já terão "toda a informação necessária para tomar a decisão correta".

pyj/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.